Home > Destaques > Destaque normal > TURISMO -Viagens encarecerão em 2018 e especialista dá dicas para economizar até 40%

TURISMO -Viagens encarecerão em 2018 e especialista dá dicas para economizar até 40%

A sede do parlamento se encontra no Palácio do Congresso, localizado na Plaza de los Congresos

Com aumento médio de 3,5%, nas passagens e 3,7% na hospedagem, viajar em 2018 sairá um pouco mais caro do que em 2017. A previsão, que irá impactar nos custos finais tanto para viajantes independentes quanto para operadores e agências, foi divulgada no final de julho pelo “2018 Global Travel Forecast”, relatório sobre o mercado de viagens internacionais.

 

Diante do Cenário, especialistas no assunto apostam em dicas que podem proporcionar aos turistas uma economia de até 40% nas passagens e de 10% nos pacotes.

De acordo com a gerente da CVC em Cuiabá, Nivia Melo, o setor é extremamente sensível as oscilações econômicas, estando diretamente atrelado, no caso do Mato Grosso, a balança do agronegócio. “Passamos o ano de 2016 com uma queda nas viagens internacionais, mas em 2017 estamos vendo uma procura muito maior, até agora um crescimento com média de 13%. Também apostamos em viagens de cruzeiro, tanto na costa brasileira, quanto para o Caribe e travessia para Europa.”

Havana – Cuba (Reprodução

Ela explica que, além das incríveis paisagens, os países da região estão surpreendendo até mesmo os viajantes mais exigentes, com destinos que contam com cassinos, casas noturnas, boa gastronomia, vinhedos e inúmeras opções de aventura. A tendência é confirmada pela Global Travel Forecast, que aponta a América Latina como alternativa mais viável para o próximo ano.

A subida dos preços, segundo o estudo, está relacionada à melhora da economia global e à crescente demanda. Outro fator considerado é o aumento da instabilidade geopolítica em diversas partes planeta, tanto em mercados emergentes quanto nos Estados Unidos e Europa. Soma-se a isso o aumento do preço bruto do petróleo, que impacta nas tarifas aéreas e a construção de novos hotéis e a consolidação, ou não, de modelos alternativos de hospedagem, que refletem nos novos preços da hotelaria.

Ilha de Capurganá – Colômbia (Reprodução)

Pensando no efeito combinado desses fatores, é possível assegurar a viagem e evitar que planos sejam cancelados pela falta de opções que caibam no bolso. Com criatividade, informação e uma boa planilha para auxiliar na distribuição das despesas, o passeio está garantido. Para facilitar estas decisões o Agro Olhar elaborou uma série de sugestões que podem ajudar neste momento.

Confira:

Aposte nos cruzeiros

Embora seja um produto conhecido, os mato-grossenses o tem explorado pouco. A proposta é bem completa e oferece estadia no que pode ser considerado um hotel de luxo em alto mar. Ali os passageiros podem desfrutar de um serviço diferenciado e ainda conhecer vários destinos.

 

Cruzeiro

Circuitos

Outro produto que é tendência são os circuitos, independente do destino. O pacote proporciona ao cliente assistência, transporte e ainda a possibilidade de conhecer vários países em uma única viagem.

Como no caso dos cruzeiros, essa opção se destaca pelo custo benefício. Deste modo, se comparados seus valores com os de um pacote de destino exclusivo, a diferença não é significativa, no entanto, a experiência é bem maior.

América do Sul está em alta

Principalmente para os que estão iniciando as viagens internacionais, ou que desfrutam de pouco tempo para tal. As principais sugestões são Chile, Peru, Uruguai, Bolívia e Argentina, que assim como no restante da região, apresentam menor valor da moeda em relação ao dólar, o que reduz bastante os gastos em relação à Europa.

É preciso considerar ainda a possibilidade de encontrar de tudo nas grandes metrópoles. Em comparação entre valores atuais, um pacote para America do Sul, com embarque em 2017 ou 2018, apresenta diferença de valores com média de 5% a 10%, dependendo do período de escolha.

Buenos Aires – Argentina (Reprodução)

 

 

 

Programe-se

Com relação aos preços, à dica mais preciosa é sempre se programar, seja por uma questão de controle, ou para evitar que imprevistos atrapalhem o momento. É preciso considerar sempre um aumento de um ano para o outro.

Seguindo a mesma comparação entre Europa e América do Sul, por exemplo, a diferença nas passagens é significativa, chegando a valores de 30% a 40% mais baratos nos vôos. O mínimo de tempo recomendado para a pesquisa é de cinco ou seis meses de antecedência, o que garante promoções e valores melhores.

Machu Picchu – Peru 

 

 

 

Planilhas são aliadas

A servidora pública Sâmela Rôa é a prova da efetividade das planilhas. Ao Agro Olhar ela contou que desde janeiro, quando abriu mão de seu carro e aderiu ao Uber para se locomover, reduziu em quase 50% seus gasto, conseguindo o suficiente para, entre outras coisas, viajar para o Rio de Janeiro, em setembro.

De acordo com ela, a aquisição só foi possível graças à organização e planejamento, mantidos por meio das planilhas onde, suas aplicações e economias são dispostas. “Anoto todos os gastos que já tive o que foi para o cartão, etc. É uma opção que cobra bastante disciplina e principalmente bom senso.”

 

Olhar Direto | André Garcia Santana | Foto: Reprodução – Thinkstock | CVC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *