Home > Destaques > Destaque Slider > ESCOLA MILITAR “Continua a busca pela utilização do prédio Dom Bosco”, afirma vereador Júlio César

ESCOLA MILITAR “Continua a busca pela utilização do prédio Dom Bosco”, afirma vereador Júlio César

Estrutura abandonada chegou a ter reforma iniciada para receber instalação de escola militar

 

O vereador Júlio César (PSDB) afirmou que continuará buscando a melhor opção para reutilizar o prédio da antiga escola Dom Bosco, em Barra do Garças. Ele comemorou a assinatura, pelo prefeito Roberto Farias (MDB), do convênio entre o município e o governo federal, que torna definitiva a vinda do modelo de ensino cívico-militar para a cidade.

Em entrevista ao Semana7, Júlio destacou que embora tenha lutado pela instalação da escola militar no prédio Dom Bosco, fica satisfeito com a definição da prefeitura em aplicar o modelo na Escola Municipal Delice Farias dos Santos. O vereador vem defendendo esse tipo de ensino para o município desde 2018 e foi um dos articuladores da audiência pública, realizada pela Assembleia Legislativa em Barra do Garças, em 26 de setembro, para discutir o assunto.

“Esse modelo tão desejado pelos pais tem o objetivo de melhorar o processo de ensino e aprendizagem das escolas públicas e se baseia no elevado nível dos colégios militares de instituições como o Exército, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros Militares”, explica Júlio Cesar.

“No momento, ficamos satisfeitos com a escolha definitiva de uma unidade para comportar o ensino militar e continua a busca para que, em breve, tenhamos alguma utilização do prédio da antiga Dom Bosco”, afirma.

O município escolheu a unidade escolar Delice Farias para participar do Programa Escola Cívico-Militar (PECIM), do governo federal. A iniciativa do Ministério da Educação, junto ao Ministério da Defesa, vai investir, já em 2020, R$ 54 milhões em 54 escolas no Brasil.

A previsão do governo é de que inicie no próximo ano as adequações e reformas necessárias para implantação do modelo cívico militar nessas unidades. Por tanto, há a possibilidade de que a escola Delice Farias, em Barra do Garças, também comece a ser preparada já em 2020.

Segundo justificou a prefeitura, a escolha da escola se deu pelo fato de a rede municipal ter unidades com baixos índices de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) e por ela se situar em uma realidade de vulnerabilidade social. O prefeito Roberto Farias também confirmou que a Delice atende todos os critérios do MEC para receber uma escola do projeto.

Julio CesarVereador Júlio César é articulador de ensino militar em Barra do Garças

Para o vereador Júlio César, a recepção positiva à ideia do ensino militar ao longo de um ano de discussão foi importante para mobilizar o município.

O ensino militar começou a ser debatido em Barra do Garças em 2018. Na época, o vereador Júlio César assumiu a frente da discussão e defendeu a instalação da escola militar Tiradentes, do governo do estado, no antigo prédio da escola Dom Bosco.

“Achamos, naquele momento, que a melhor opção seria a Dom Bosco, até por ser um prédio público há 18 anos desativado e ter a capacidade para mais de 2 mil alunos”, recorda.

Uma reforma na estrutura do prédio foi iniciada, no valor aproximado de R$ 500 mil, mas acabou paralisada, pois o governo anterior não pagou a empresa responsável pela obra.

Com a troca de governos, o assunto foi adiado até o último setembro, quando Júlio o tirou da gaveta e articulou uma audiência pública, realizada pela Assembleia Legislativa. O momento reuniu os deputados estaduais Dr. Eugênio (PSB) e Silvio Fávero (PSL), vereadores e representantes da prefeitura de Barra do Garças.

“Fizesse a audiência para mostrar a necessidade de uma escola militar em Barra do Garças. Até porque nós já temos pelo menos 5 escolas militares no estado, em Confresa, Rondonópolis, Cuiabá, Sinop, em Primavera do Leste, e Barra, como uma cidade polo também precisa de uma.”

Semana7 | Kayc Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *