Home > Destaques > Destaque Slider > Tecnologia – Startup chilena produz leite a partir de repolho e abacaxi

Tecnologia – Startup chilena produz leite a partir de repolho e abacaxi

Na onda dos produtos que evitam a origem animal, o leite ganhou uma versão feita de vegetais iStockphoto/Getty Images

Com investimentos milionários de Jeff Bezos, a NotCo é uma representante no prolífero mercado de alternativas à comida animal

 

Uma startup chilena, que conta com investimento do bilionário norte-americano Jeff Bezos, dono da Amazon, acaba de lançar uma bebida com gosto de leite, mas cuja produção independe totalmente de animais. A NotCo é a responsável pela bebida, a qual chama de “não-leite”, a partir de repolho e abacaxi.

Não é à toa que a empresa recebeu significativos pacotes de investimento de conglomerados como o de Bezos. A NotCo simboliza uma tendência já consolidada em mercados nacionais e mundiais: o afastamento de produtos que venham de animais.

De acordo com o presidente da NotCo no Brasil, Luiz Augusto Silva, “o leite faz parte da estratégia mais ampla da empresa, que é a substituição de alimentos com alternativas à base de plantas, por acreditar que a cadeia produtiva é mais sustentável para o planeta se as pessoas estiverem se alimentando de plantas”.

Estudos apontam que cada vez mais brasileiros buscam alternativas à comida originada por animais. Entre março e setembro de 2018, por exemplo, 18% do Brasil comprou produtos que servem como opção à carne animal. Assim, as oportunidades para empresas como a NotCo, que triunfam nesse quesito, são melhores do que nunca.
 

Os leites de origem vegetal têm se tornado muito comuns não só por evitarem a interferência no reino animal, mas também porque costumam ser livres de substâncias às quais grande parte da população é sensível. Por exemplo, estima-se que a intolerância à lactose afete até 70% dos brasileiros, os quais se beneficiam com a ingestão de bebidas com gosto de leite, mas sem lactose.

Com um aporte de mais de R$ 120 milhões de Bezos, a startup pôde desenvolver um algoritmo responsável por bolar receitas a partir do estudo de moléculas de alimentos de origem animal e de tentativas de reproduzir seu sabor com o uso exclusivo de vegetais. Para isso, a tecnologia leva em conta fatores como o sabor, a cor, a textura e até mesmo o valor nutricional do que utiliza. “Somos uma companhia que está tentando mudar a forma como o sistema produtivo alimentar é feito, sem mudar a experiência emocional que o consumidor tem com os produtos que ele gosta. A gente quer que as pessoas se deliciem com esses produtos”, explicou Silva.

Assim, o resultado final é o NotMilk, uma bebida livre de lactose, glúten, colesterol e qualquer transgênico. As vendas começaram em São Paulo, durante o Natal BTG, evento promovido pelo banco BTG Pactual.

Outros produtos alternativos são oferecidos pela startup, como a Not Mayo, maionese sem ovos feita à base de grão de bico, e o Not IceCream, sorvete sem leite feito a partir de ervilha.

VEJA | Por Jennifer Ann Thomas, Sabrina Brito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *